Entre as principais datas comemorativas que movimentam o varejo brasileiro, a Páscoa é, sem dúvidas, uma das mais aguardadas pelos varejistas. Após a já esperada “calmaria” de vendas em janeiro, a data serve como termômetro para os próximos meses e o que o setor pode esperar. Neste ano, as expectativas com as vendas relacionadas ao feriado eram altas e foram criadas cerca de 23 mil vagas temporárias em fábricas e lojas de chocolates. Agora, com a divulgação dos primeiros indicadores de vendas acumuladas em 2018, os varejistas podem respirar aliviados, pois a perspectiva para o ano é de crescimento.

De acordo com a ACSP (Associação Comercial de São Paulo), o varejo paulistano cresceu 4,5% no primeiro trimestre de 2018 em comparação com o mesmo período do ano passado. Para a Associação, o indicador marca a retomada do comércio da cidade após dois anos de queda nas vendas nos primeiros três meses do ano. Alencar Burti, presidente da ACSP, explica o porquê: “O perfil das vendas está retornando, aos poucos, ao período pré-crise, isto é, os consumidores voltaram a comprar bens duráveis, de maior valor”, diz Burti.

Para a entidade, dois fatores principais motivaram o crescimento do varejo paulistano no primeiro trimestre: a queda tanto da inflação quanto de juros impulsionaram as compras a prazo, que cresceram 6,7% no período. Compras à vista também tiveram um aumento, apesar de mais tímido – 2,3%. Para o mês de março, o Balanço de Vendas da ACSP registrou alta de 3,3% na relação com março de 2017.

Vendas da Páscoa impulsionam crescimento do varejo

O crescimento em março está diretamente ligado às vendas de Páscoa, que foram impulsionadas pelas condições favoráveis de parcelamento. Segundo o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), as consultas para vendas parceladas no Brasil cresceram 3,24% no feriado de Páscoa. O aumento nas vendas a prazo na data comemorativa foi o maior desde 2014.

Comerciantes estão mais confiantes

Outro indicador divulgado pela FecomercioSP mostra que os resultados positivos nas vendas já estão tendo impacto direto na confiança dos comerciantes. Segundo a Federação, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) da cidade de São Paulo atingiu 115,5 pontos em março de 2018, o maior nível desde janeiro de 2014. O crescimento foi de 17,5% em comparação a março de 2017.

Para economistas da FecomercioSP, o aumento da confiança é baseado no ciclo de recuperação das vendas em curso e na melhora da economia. Inflação baixa, juros em queda e melhores resultados do mercado de trabalho influenciam diretamente na intenção de consumo por parte das famílias e, consequentemente, no bom desempenho do comércio.

Que tal aproveitar o ótimo momento do varejo brasileiro e investir em ações no PDV para impulsionar ainda mais as vendas da sua empresa? A BTL Comunicação é nossa unidade de negócios especializada em trade marketing e está pronta para atendê-lo!

Fonte: Portal Novarejo